quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Beleza e fama a todo custo: Helter Skelter!


O mangá de Helter Skelter foi escrito e desenhado por Kyoko Okazaki, conhecida autora do gênero Josei - mangás normalmente voltados para o público feminino adulto - sua serialização iniciou-se nas páginas da revista "Feel Young Magazine" e posteriormente foi compilado num volume único.

A obra ainda ganhou inúmeros prêmios importantíssimos como o "Japan Media Arts Festival", vencedor no "Tezuka Osamu Cultural Prize" e foi indicado também ao "Angoulême Internacional Comics Festival" (Festival Internacional de quadrinhos em Angoulême, França) em 2008.
E Helter Skelter é exatamente isso, o lado grotesco e bizarro do mundo das celebridades. Vaidade, ganância, mentiras, ilusões e tristeza. Em suma, o sacrifício desses indivíduos em prol da "perfeição".

Uma palavra antes de começarmos: "risadas e gritos soam de forma parecida."

A busca pela beleza conduz à ruína:

“Celebridades são constantemente julgadas como sendo extremamente fascinantes… Porque celebridade são como um câncer, um tipo de deformidade.”



O mangá conta a história de Liliko, uma modelo extremamente famosa, carismática, popular e dona de uma beleza e charme descomunal. Liliko atua em diversas áreas: desfila, canta, atua, fotografa, etc. Ela faz tudo para manter-se onde está, ou seja, no topo. Contudo, ficar sempre por cima é quase impossível, sempre aparecem novas celebridades, modelos mais jovens e belas e rapidamente novos olhares são atraídos para o rebanho.

Toda temporada é assim, mas Liliko está disposta a tudo para manter-se no topo. Para tal, submete-se à inúmeras cirurgias plásticas visando a jovialidade e um corpo sob medidas. No entanto, ao adentrar nesse ciclo vicioso de autodestruição, era esperado que seu corpo não aguentasse e os problemas começassem aparecer. Os inúmeros efeitos colaterais decorrentes de inúmeras cirurgias fizeram com que seu corpo logo "desmoronasse" e, junto dele, sua sanidade.



Concluindo, mas sem dar muitos spoilers, o desfecho de Helter Skelter é absolutamente fantástico. As inúmeras reviravoltas ao decorrer da história culminando para um final totalmente inesperado (leia e confira você mesmo).
Em minha modesta opinião, acredito que LiLiko não seja culpada, tão pouco vilã, embora tenha comportamentos e atitudes repugnantes em certos momentos. Penso que ela seja apenas mais uma, em meio a tantas, que foi levada pela "correnteza". Pela cegueira de quem busca e segue incansavelmente a fama e certos padrões de beleza. 

- O filme:



Em 2012, estreou no Japão a adaptação do mangá de Helter Skelter para as telonas. Tal qual seu homônimo, o filme não ficou pra trás e os roteiros da diretora Mika Ninagawa mantiveram-se extremamente ácidos. E para melhorar, AINDA mais, Liliko foi interpretada pela atriz cantora e modelo Erika Sawajiri - diga-se de passagem uma figura muito polêmica por conta de seu comportamento nada habitual. Casou perfeitamente com o papel de Liliko não é mesmo?

O filme fez relativo sucesso no Japão e chegou a ser exibido nos EUA também, mas infelizmente não chegou ao Brasil. Confiram o trailer:



- A edição nacional:
O mangá foi publicado em 2016 pela editora NewPOP e, como de costume, a editora não fez feio. A edição nacional ficou bem bonita, principalmente por conta da parte gráfica. Helter Skelter possui papel off-set 90g, capa cartonada, 320 páginas (sim, possui páginas coloridas), formato 15x21 cm e preço de 24,90, embora você encontrará bons descontos em lojas online ou se preferir poderá comprá-lo diretamente na loja da editora NewPOP.


Por Viriatus